Página em Construção

Antes de 1909   Depois de 1909   Quem Somos Hoje
         

A primeira tentativa de funcionamento do serviço de sinais foi dirigida pelo Sr. Frederico Oom. Este serviço viria a funcionar regularmente desde 11 de Janeiro de 1901 trabalho este que é devido ao 2º tenente A. Lopes. Deve-se também a este oficial os cálculos relativos ao eclipse do sol de 1908, mas a observação foi prejudicada pelo mau estado do céu.

 

Devido a uma avaria na pêndula do tempo médio, o serviço de sinais veio a ser interrompido dando-se os sinais apenas três vezes ao dia. Outro contratempo veio anular todo o esforço e desejo quando a linha telegráfica que provisósiamente tinha sido estabelecida caíu por terra com o grande temporal de Dezembro de 1908.Neste período há também a registar a primeira determinação de azimute da linha de pilares - centro do instrumento de passagens e do ponto de mira do culimador respectivo, - no valor de 1s,81±0s,032, sendo a distância entre os pilares de 73m,935. Foi também ensaiada a primeira determinação de longitudes por passagens de estrelas de culminação lunar o qual produziu o valor provisório de 2h10m24s,1 EG.Pelo capitão Gago Coutinho, chefe de missão geodésica, foi realizada uma série de observações para a determinação da latitude a qual produziu o valos L.='25º25'5".

 

Numa sessão de 1905 da extinta Comissão do Melhoramento do Porto foi apresentada uma proposta para o estabelecimento, em boas bases, dos serviços da hora e de meteorologia Foi assim que em 1909 entrou em funcionamento o Observatório Campos Rodrigues iniciando-se deste modo uma nova era na história da Meteorologia em Moçambique.

 

O Observatório Campos Rodrigues coordenava toda a actividade meteorológica com recolha e tratamento de todos os registos de observações efectuadas em vários postos de leitura e registo de dados meteorológicos. Continuou ainda com a emissão do sinal da hora oficial tendo também iniciado observações astronómicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pelo Decreto 30/89 de 10 de Outubro foi criado o Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) da transformação do Serviço Meteorológico de Meteorologia (SMM) numa instituição com personalidade jurídica e autonomia administrativa e financeira subordinada ao Ministério dos Transportes e Comunicações.

 

Tendo herdado uma infraestrutura debilitada e um quadro técnico quase inexistente o INAM apostou na formação do homem tanto a nível de instituições de ensino no país como no estrangeiro. Outra aposta é elevar o nível de cobertura das estações aos níveis de 1975 (actualmente em 25%). Graças aos esforços do Governo e dos seus parceiros internacionais o INAM está a emergir para uma nova era em que a preocupação é elevar a qualidade da informação prestada, concorrente para a redução da vulnerabilidade e salvaguarda de vidas e bens. Somos uma instituição apostada em ser um pilar do desenvolvimento sustentável e da luta contra a pobreza absoluta.

 

 

 

Back to top